Bom e barato: confira onde encontrar drinques por até R$ 25 em SP

Em tempos de crise, casas investem em menus que cabem no bolso

Poste com anuncio em cartaz com os dizeres "Bom e Barato" Gabriel Cabral/Folhapress

Marina Consiglio
São Paulo

Não está sendo fácil. Os versos entoados pela cantora Kátia ainda nos anos 1980 parecem ecoar por aí nesses tempos atuais de grana curta e preços cada vez mais altos.

Mas, mesmo com a economia estagnada e o flerte com a recessão, não param de pipocar novidades gastronômicas na cidade —muitas delas com opções mais em conta, incluindo lanchonetes e restaurantes.

O movimento é visto especialmente entre bares, com inaugurações que combinam coquetelaria e valores módicos —R$ 25, em média. Os exemplos mais recentes se concentram na jovem região da Santa Cecília, com o Bao Bar, O Mirandês e o novo Térreo.  Confira a seguir. 

DRINQUES POR ATÉ R$ 25

Bao Bar
Desde abril na modernete Vila Buarque, o bar combina sanduíches no bao (pãozinho no vapor) a drinques com preços quase inacreditáveis —os mais caros custam R$ 22. A carta é variada e traz seções de bebidas com gim, shochu (destilado japonês), cachaça e uísque, entre outros. Entre as sugestões, há o Shochu Sour (com catuaba e mix de limões; R$ 19) e o Marajós (cachaça de jambu, xarope de maracujá, limão e tônica; R$ 19).  
R. Dr. Cesário Mota Jr., 277, Vila Buarque, região central, s/ tel. 30 lugares. Ter. a qui.: 11h às 14h e 19h às 24h. Sex. e sáb.: 11h às 16h e 19h à 1h.

Barouche
Precursor da fase mais recente do largo do Arouche, recebe a clientela no charmoso e diminuto salão —há, claro, quem prefira sentar-se na calçada mesmo. A carta é assinada por Marco de la Roche (Riviera) e destaca receitas clássicas, que custam, em sua maioria, R$ 25 —caso do Portonic (vinho do Porto branco, tônica e limão). Para variar o whisky sour, a dica da casa é o Vitória, com bourbon, tônica e limão. Tem sanduíches na seção de comes, a exemplo da carne louca (R$ 18).
Lgo. do Arouche, 103, República, região central, tel. 3224-9097. 60 lugares. Qua. a sex.: 18h às 24h. Sáb.: 17h às 24h. Dom.: 16h às 22h. Não aceita tíquetes.

Benzina
Dos donos da Bullguer, segue os preceitos da hamburgueria, com ambiente despojado e drinques com preços bem amigáveis. Uma parte da carta do bartender Gabriel Santana custa até R$ 25 —há opções por R$ 27 e outras que ultrapassam os R$ 30. A carta lista receitas como o Brazilian Sour, feito com cachaça, mel, maracujá e espuma de coco; R$ 22) e o Melhor da Noite (Jim Beam, framboesa, coco e beterraba; R$ 25).
R. Girassol, 396, Vila Madalena, região oeste, tel. 3031-2008. 150 lugares. Ter. e qua.: 18h às 24h. Qui.: 18h às 2h. Sex. e sáb.: 18h às 3h. 16 anos. Não aceita tíquetes.

Boteco Mano do Céu
O nome irreverente e o ambiente despojado não entregam de cara, mas este é um boteco que leva a coquetelaria a sério. As receitas dali devem agradar aos fãs de sabores amargos e da coquetelaria popular brasileira —no caso do rabo de galo (feito ali com cachaça envelhecida, Cynar 70 e vermute tinto, R$ 20), dos dois. Na ala dos clássicos, há o bitter giuseppe (Cynar, vermute tinto, angostura laranja e suco de limão, R$ 22). Para mordiscar, tem hambúrgueres (R$ 26 o cheese-salada).
R. Ferreira de Araújo, 1.007, Pinheiros, região oeste, tel. 2372-7770. 36 lugares. Seg. a sex.: 12h às 14h30 e 18h às 23h30. Sáb.: 13h às 23h30.

Boteco Paramount
O reduto do barman Netinho deixou muita gente órfã quando teve as portas fechadas pela subprefeitura de Pinheiros, em meados de 2017. Quase um ano depois, em outubro de 2018, voltou à ativa com as mesmas cara e proposta de oferecer bons coquetéis clássicos por valores módicos. Na seção de gins-tônicas, os bem-servidos mixes custam a partir de R$ 16,90 cada um. A poucos passos dali fica o Sylvester, com balcão comandado por Frajola e proposta semelhante.
R. dos Pinheiros, 1.179, Pinheiros, região oeste, tel. 3819-0240. Ter. a sex.: 17h às 24h. Sáb.: 12h às 24h. Dom.: 12h às 23h. Não aceita tíquetes. 

Cama de Gato
Mesas espaçosas, coquetéis com preços que cabem no bolso, rock nas caixas de som e uma inusitada mesa de pingue-pongue tornam este um ótimo para juntar a galera. O menu etílico é dividido em três etapas: receitas por R$ 19, por R$ 24 e por R$ 25. Na primeira seção estão combinações como o Cynar tônica, servido com limão-siciliano; na intermediária, clássicos como o boulevardier, negroni, fitzgerald e moscow mule; a última é dedicada à misturas com energético, como a com vodca. 
R. Amaral Gurgel, 453, Vila Buarque, tel. 3129-9581. 150 lugares. Seg. a qua.: 18h à 1h. Qui. a sáb.: 19h às 2h. Não aceita tíquetes.

Das
A presença ali é majoritariamente feminina —da equipe ao público. Assinada e executada pela bartender Nina Veloso, a carta reúne receitas que custam de R$ 16 a R$ 25 (e uma, o dry martini, a R$ 27). Sugestão é o moscow mule, que por ali é feito com espuma de aquafaba, líquido de origem vegetal que substitui 
o ovo, o que torna a versão amigável para os veganos.
R. Fortunato, 133, Vila Buarque, região central, s/ tel. 50 pessoas. Ter. a sáb.: 19h às 24h. Não aceita tíquetes.

Estepe
De ambiente simples e frequência jovem (e animada), o endereço investe nas bebidas alcoólicas nacionais. Na carta, as receitas da casa custam de R$ 19 a R$ 22 e os clássicos, R$ 24. Além da variedade de cachaças, aparecem raridades como a tiquira, um destilado feito de mandioca. Ela compõe, por exemplo, o drinque Macaxeira, também com cupuaçu, limão e vinho tinto (R$ 19)
R. Cunha Gago, 588, Pinheiros, região oeste, tel. 3881-4855. 60 lugares. Seg. a dom.: 18h à 1h. Não aceita tíquetes.

Kraut Bar
Fica ainda mais evidente o sotaque alemão ao ver que os drinques da casa usam como base o steinhaeger (destilado de origem daquele país) —e custam, entre R$ 19 e R$ 25. Uma sugestão aqui é o Gurke, também com tônica, xarope de flor de sabugueiro, pepino e limão. Durante a semana, tem promoções de coquetéis. Às terças, serve variações do moscow mule, com preços entre R$ 17 e R$ 22; já as quintas são das gins-tônicas, com cinco receitas vendidas por R$ 17 cada uma.
R. Br. de Tatuí, 405, Vila Buarque, região central, tel. 4323-6390. 55 lugares. Ter. a qui.: 12h às 15h e 18h às 24h. Sex.: 12h às 15h e 18h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 16h40. Não aceita tíquetes.  

Lupe Bar y Taqueria
Comida mexicana de raiz, como ainda é raro encontrar em São Paulo, combinada a drinques é a aposta desta casa —onde, aliás, nada custa mais do que R$ 30. Com consultoria do bartender Fábio la Pietra (SubAstor), as bebidas custam entre R$ 21 e R$ 27. Uma dica é o Paloma, com tequila, limão e refrigerante de grapefruit caseiro (R$ 25).
R. Cunha Gago, 625, Pinheiros, região oeste, tel. 3819-4990. 100 lugares. Ter. e qua.: 19h à 1h. Qui. e sex.: 19h às 2h. Sáb.: 13h às 2h. Dom.: 13h às 17h. Não aceita tíquetes.  

O Mirandês
Bem no meio do fervo da Vila Buarque, essa casinha simpática tem feito sucesso entre o público da região. A clientela é atraída pela oferta de coquetéis em conta, em especial as gins-tônicas. A versão mais simples, com bebida nacional, custa R$ 19; as mais elaboradas, com sabores como purê de manga, saem por R$ 25. 
R. Canuto do Val, 216, Vila Buarque, região central, s/ tel. 40 lugares. Ter. a sex.: 18h às 24h. Sáb.: 14h às 24h. Dom.: 12h às 18h. Não aceita tíquetes.

Shuffle
Pertinho do metrô Santa Cecília, o bar tem trilha sonora de pegada alternativa. Para a alegria dos botequeiros que não comem carne, o menu é vegano —e os preços, econômicos. Há até um white russian feito com leite de castanha-de-caju (R$ 24). Outra sugestão é o Satyagraha, com vodca e xaropes de hibisco e capim-limão, que custa R$ 22 (R$ 17 às quartas) .
R. Ana Cintra, 132, Campos Elíseos, região central, tel. 3221-6367. 60 lugares. Ter. a sáb.: 18h às 24h. Não aceita tíquetes.

Térreo Bar
O nome é literal: o novo bar do largo do Arouche fica no térreo de um prédio residencial. Pequenino, tem um charmoso balcão no salão e mesas maiores do lado de fora. Comandado pelo bartender Alex Ferrer, o balcão expede uma carta baseada em clássicos, com toques autorais e preços atraentes. Exemplo é o Detetive (R$ 22), com bourbon, Cynar, Aperol e angostura. Por ali, a bebida mais cara, Bandito (tequila com infusão de dedo-de-moça, morango e limão), sai por R$ 27. Para acompanhar, a seção de petiscos tem itens como os cogumelos recheados e gratinados (R$ 24) e as pipocas de vôngole fritas, empanadas e assadas (R$ 14).
R. do Arouche, 77, República, s/ tel. 50 lugares. Qua. e qui.: 19h às 24h. Sex. e sáb.: 19h à 1h. Dom.: 16h às 21h30. Não aceita tíquetes.  

Ümbar
Uma garagem abriga o bar moderninho especializado em drinques bons e baratos, com média de preço de R$ 25 —paga-se mais caro caso escolha bebidas premium. Entrega coquetelaria clássica, mas também tem uma carta autoral com receitas como o Morfeu (rum, vermute, xarope de coco tostado, mix de cítricos e carvão ativado; R$ 25).
R. Costa Aguiar, 1.482, Ipiranga, s/ tel. 40 lugares. Qua. a sáb.: 18h às 24h. Não aceita tíquetes.

Void General Store
Misto de bar, loja e balada, reúne jovens descolados nas unidades do largo da Batata e do centro. O negócio ali é beber os drinques em pé mesmo, como o que mistura Catuaba com tônica (R$ 12). Para beliscar, dica é o bolovo (R$ 11). Os dois endereços têm programação de festas e shows, fique de olho.
R. Martim Carrasco, 56, Pinheiros, região oeste, s/ tel. 300 lugares. Seg.: 11h às 24h. Ter. a sáb.: 11h à 1h. Dom.: 12h às 24h.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais