Descrição de chapéu Coronavírus
Bares

Saiba quais bares de São Paulo fecharam as portas durante a pandemia

Clássicos da boemia e endereços recentes não resistiram ao período de quarentena

Bar Mandíbula, que ficava localizado na galeria Metrópole, no centro de São Paulo

Bar Mandíbula, que ficava localizado na galeria Metrópole, no centro de São Paulo Tomás Cytrynowicz/Divulgação

-
São Paulo

Após um ano de pandemia, diversos bares e restaurantes da capital paulista não resistiram à quarentena e encerraram as atividades no período.

As restrições do plano estadual de quarentena foram ainda mais rígidas para os bares —eles não podiam receber o público presencialmente durante a fase laranja do plano de quarentena de São Paulo, por exemplo, enquanto restaurantes eram autorizados a abrir nessa parte da quarentena. Além disso, muitos espaços não conseguiram adaptar o serviço ao delivery.

Endereços clássicos como o bar Genésio, em funcionamento desde 2002 na Vila Madalena, encararam dificuldades para funcionar e vão fechar as portas. Nomes moderninhos, como o Mandíbula, também encerraram as atividades.

Saiba, abaixo, quais bares se despediram de São Paulo durante a pandemia.

Azucar Club Cubano
Inaugurado nos anos 2000, o bar e balada foi um dos pioneiros na introdução dos ritmos latinos entre as casas noturnas paulistanas. Por conta da pandemia, o local pausou as atividades em março de 2020 e entregou o ponto onde funcionava no Itaim Bibi. Desde então, os proprietários do clube de estilo cubano estão em busca de investimentos para reabrir o local.

Antigo ambiente do clube cubano Azucar, no Itaim Bibi
Antigo ambiente do clube cubano Azucar, no Itaim Bibi - Divulgação

Baderna
Misto de bar, restaurante, estúdio de tatuagem e casa de shows dedicada à cena independente e punk, o espaço funcionou de agosto de 2016 até dezembro de 2020 —quando encerrou as atividades permanentemente por conta da pandemia. Na nota de despedida publicada no Instagram, a casa afirmou que chegou a receber cerca de 700 apresentações artísticas e cem eventos culturais nos quatro anos de funcionamento.


A Barra
O bar, comandado pelo jovem casal formado pela chef Nora Brass e pelo bartender Juglio Ortiz, teve que interromper suas atividades um ano após estrear em uma casa descolada na Barra Funda. Em nota publicada no Instagram, eles explicaram que a operação do local se tornou inviável financeiramente por conta da crise causada pela pandemia. “Trabalhamos duro e seguramos A Barra pelo maior tempo possível. Nem o governo, nem os proprietários de bancos quiseram se juntar a vocês nessa saga de nos manter abertos”, escreveram.


Black Crow Pub
Por meio das redes sociais, o pub anunciou em julho de 2020 que encerrou as atividades na rua Mourato Coelho, em Pinheiros, “diante do quadro da pandemia e da crise econômica que só se agrava". Há planos, porém, de reabrir o bar em outro endereço, “assim que a situação para o nosso ramo de atuação estiver mais favorável”.


BrewDog
A única filial da famosa cervejaria escocesa BrewDog na América do Sul fechou as portas permanentemente em maio de 2020. O bar estava em frente ao Instituto Tomie Ohtake, em Pinheiros.


Cangote
De acento nordestino, o bar e restaurante da Santa Cecília encerrou as atividades em fevereiro deste ano. “O motivo principal da gente sair de cena é a falta de uma política pública forte para manter os pequenos comércios em pé nessa pandemia”, escreveram em publicação nas redes sociais.


Cateto
A casa, que funcionava em Pinheiros, tentou se adequar ao sistema de entregas durante a quarentena, mas não foi o suficiente, e, sem sinal de retorno ao normal no horizonte, o encerramento da operação foi anunciado no fim de maio. O bar que era dedicado às cervejas, vinhos e embutidos artesanais, virou um clube de assinaturas, disponível em catetocrafters.com.br. “Assim vamos poder continuar a apoiar pequenas iniciativas, de pequenos queijeiros, charcuteiros, produtores de café, mel, vinho e, claro, cerveja”, afirma o sócio Eduardo Jarussi.


Exquisito!
O descontraído bar com culinária latino-americana entregou o imóvel que ocupava na Bela Cintra e está fechado desde março de 2020, mas pretende reabrir em novo endereço quando uma parcela considerável da população for vacinada.


Genésio
Antigo reduto boêmio da Vila Madalena, este clássico bar era frequentado por nomes como Milton Nascimento, Paulinho da Viola e João Bosco. Depois de quase 19 anos, a casa encerrou as atividades após uma crise financeira e atritos com o proprietário do imóvel, que se chama Genésio. O local permaneceu de portas fechadas durante a pandemia —funcionou apenas com uma tentativa de delivery, que durou pouco. A casa estava mal das pernas desde 2020, quando começou a buscar investidores que a mantivessem de pé. “O Genésio está fechado. É a nossa marca, mas não sabemos quanto tempo vai durar essa pandemia. O bar fica na memória, como quase tudo fica”, afirma Helton Altman, um dos quatro irmãos que tocavam o Genésio com um amigo.


Gibi Cultura Geek
Reduto de fãs do universo geek, o bar na Vila Mariana fechou as portas em agosto de 2020. Uma nota de despedida publicada no Instagram explica que havia planos de reformar o espaço, mas a pandemia atrapalhou o objetivo. Além disso, as restrições impostas a bares durante a quarentena “tornaram inviável a manutenção dos custos envolvidos”. “Após cinco meses pensando em todas as possibilidades —delivery e afins—, a situação se tornou insuportável e tivemos que fechar”, escreveu o proprietário Tiago Almeida.


Hatchet House
Depois de atrair o público para praticar o arremesso de machados por lá, principal atração do bar de temática nórdica na Vila Olímpia, a casa comunicou pelas redes sociais, no início de 2021, a suspensão por tempo indeterminado das operações, “por conta das incertezas instauradas no setor”.


Heute
De ambiente descolado, o bar da modelo Ellen Milgrau na Vila Buarque foi mais um a fechar as portas por causa da pandemia, em fevereiro deste ano. Durante a quarentena, a casa criou uma campanha colaborativa e vendeu vouchers para consumo futuro para manter as contas em dia, mas não foi o suficiente. “A imunização ainda vai demorar para se completar e seguir de portas abertas tornaria impossível cumprir nossos compromissos com nossos colaboradores”, diz nota no Instagram da casa.


Little Cronin
Comandado por um irlandês e conhecido por servir pints de Guinness ao lado de petiscos com ingredientes daquele país, o pequeno pub em Higienópolis anunciou em janeiro que fecharia as portas, após se adaptar à pandemia oferecendo kits de coquetéis por delivery.


Mandíbula
Um dia antes de completar seis anos, o bar anunciou, em 14 de abril, o encerramento das atividades na galeria Metrópole, no centro de São Paulo. Já havia o plano de sair do prédio —especialmente devido às restrições de horário impostas pela administração do local— para outro endereço, mas a quarentena adiantou o fechamento. Casa irmã do Mandíbula, o Cama de Gato segue aberto com delivery e take away de drinques.


Nuna
À frente desse bar e restaurante, a coreana Mijung Kim servia comes e bebes típicos de sua terra natal, a Coreia do Sul. Após tentar o sistema delivery e ver o faturamento cair devido à pandemia do novo coronavírus, a empresária decidiu fechar a casa em Pinheiros e retornar à Coreia do Sul, “depois de muita análise da situação, pensamentos e conversas com a minha família na Coreia tão preocupada”, disse ela.


Pavão Bar
Até o início da quarentena, em março de 2020, a casa, na região da Santa Cecília, contava com bar de drinques, pista de dança e programação de discotecagem. Com as portas fechadas ao público por conta da pandemia, o espaço precisou se adaptar e passou a oferecer brunches e refeições via delivery. Mas a operação não perdurou e o local fechou em setembro. “O Pavão é sobre se aglomerar, sobre estar do lado das pessoas que a gente ama. Mas o Pavão, da forma que ele era, não tem como existir”, diz nota de despedida no Instagram.


Scar
Inaugurado em 2018, o bar da Barra Funda que tinha as paredes decoradas por skates e pôsteres de bandas de punk rock anunciou o fechamento em abril de 2021. Na publicação, a equipe agradeceu "a todo mundo que passou por aqui nesses três anos. Principalmente quem costumava aparecer sempre. Vida que segue". Os itens de decoração, os móveis e os equipamentos do bar serão vendidos.


Terço
“Com a pandemia, ficou insustentável continuar”, diz publicação nas redes sociais do bar e restaurante, que encerrou as atividades após três anos de funcionamento na Vila Conceição.


Volátil
Depois de se adaptar ao serviço de delivery, o bar pet-friendly na Pompeia não resistiu ao abre e fecha imposto pela pandemia e baixou as portas permanentemente em agosto de 2020, após dois anos de funcionamento


7 Queens Brewpub
De inspiração inglesa, o bar na Vila Madalena também fechou as portas por conta da pandemia do coronavírus.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais