Peça de teatro hip-hop usa Brecht para discutir fascismo hoje

Núcleo Bartolomeu de Depoimentos estreia montagem no Sesc Bom Retiro

Clara Balbi
São Paulo

Apesar de fundado nas premissas do teatro épico de Bertolt Brecht, que buscava alertar e engajar os trabalhadores em relação à sua realidade social, o teatro hip-hop feito pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos jamais tinha encenado um texto do dramaturgo alemão. A primeira vez será nesta sexta (28), com a estreia de “Terror e Miséria no Terceiro Milênio - Improvisando Utopias”, no Sesc Bom Retiro.

O espetáculo é uma releitura de "Terror e Miséria no Terceiro Reich", que, por meio de 24 cenas inspiradas em notícias reais, retratava a ascensão do nazismo na Alemanha nos anos 1930, antes da Segunda Guerra Mundial.

Como é praxe nas montagens do Núcleo Bartolomeu, elementos do hip-hop, como samples de batidas e de músicas, integram o espetáculo, que simula os ensaios de uma peça em montagem.

Em meio ao cenário inacabado, o elenco, formado por nove atores-MCs (mestres de cerimônias) e dois DJs, apresenta cerca de dez esquetes ligadas por comentários.

Com citações diretas e indiretas a assuntos quentes do noticiário nacional, como as discussões sobre porte de armas ou o movimento Escola sem Partido, elas buscam traçar um paralelo entre o terror na época de Brecht e a onda conservadora contemporânea no Brasil e no mundo.

Sesc Bom Retiro - Al. Nothmann, 185, Campos Elíseos, região central, tel. 3332-3600. Sex. e sáb., às 21h. Dom., às 18h. Estreia sex. (28). Até 28/7. Ingr.: R$ 6 a R$ 20.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais