Pinguins ganham "casa" maior e mais moderna no Aquário de SP

O Aquário de São Paulo (zona sul de São Paulo) comemora seis anos de funcionamento em junho. E a novidade por lá é a reabertura do pinguinário, que ficou fechado por dois meses e foi reformado para oferecer mais espaço e aumentar o bem-estar dos pinguins, simulando seu ambiente natural, a Patagônia.

O Aquário de São Paulo comemora seis anos de funcionamento; a novidade por lá é a reabertura do pinguinário
- Crédito: Divulgação

Os animais ganharam mais espaço de área seca, e o espaço aquático foi ampliado tanto no comprimento quanto na profundidade. A ideia é que o local receba mais bichos da espécie.

Também foram instaladas tocas artificiais criadas de acordo com modelos observados no ambiente natural. As tocas podem ser utilizadas por pinguins com filhotes.

A iluminação e a temperatura também serão controladas para dar aos bichos a sensação de estar em seu habitat natural.

- Crédito: Fabio Braga/Folhapress

SOBRE O AQUÁRIO DE SÃO PAULO

Inaugurado em 2006, o Aquário de São Paulo é o maior da América com 9.000 m² e 2 milhões de litros de água. O complexo abriga cerca de 3.000 exemplares de cerca de 300 espécies de animais. Além de tubarões, raias, diversos tipos de peixes e tartarugas, é possível ver jacarés albinos, lagartos, iguanas e serpentes.

Um filhote de peixe-boi pode ser apreciado por meio de uma passarela por cima do espaço. No ano passado, o aquário recebeu Pancho, um tubarão da espécie mangona que pesa 75 kg.

Desde 2009, o local realiza visitas à noite, que possibilitam que os visitantes observem a vida noturna de muitos animais, incluindo tubarões, serpentes, morcegos e jacarés.

Informe-se sobre o local

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais