Balada Selva anuncia volta das festas sem distanciamento na rua Augusta

Casa noturna de SP reabre em 1º/11 com comissão de mulheres que pode expulsar assediadores

São Paulo

A balada Selva anunciou que vai voltar a sediar festas daqui a duas semanas, no dia 1º de novembro. A casa noturna, que fica na rua Augusta, na região central de São Paulo, retoma as atividades com pista de dança e capacidade máxima.

O dia 1º de novembro é quando o governo paulista planeja implementar as novas regras do plano de quarentena estadual, que deve ter as normas mais frouxas desde o início da pandemia, permitindo shows com pessoas em pé e pistas de dança, por exemplo —vale lembrar que a prefeitura paulistana já autorizou na sexta-feira, dia 15, que espaços como cinemas e teatros não exijam mais o distanciamento de um metro entre os presentes.

Pessoas em um ambiente lotado e aglomerado
Evento na balada Selva 011 antes da pandemia; casa volta a funcionar em novembro - Divulgação

Dos mesmo donos da Tokyo, também na região central da capital, a Selva puxa a fila das festas sem distanciamento na rua Augusta, que deve passar a ter eventos parecidos com os que ocorriam antes da pandemia. A casa noturna, no entanto, ainda exigirá o uso de máscaras.

Após pausar as atividades em março do ano passado, quando teve início o fechamento de estabelecimentos por causa da Covid-19, a balada retorna agora com funcionamento voltado ao público feminino. Entre as mudanças da reabertura está a criação de uma comissão de mulheres batizada de antiopressão, que será formado por funcionárias e receberá denúncias de possíveis abusos e assédios que possam ocorrer durante os eventos.

Segundo a casa, após a denúncia ser feita ao grupo, essa equipe vai decidir se o possível agressor deverá ser expulso ou não do estabelecimento. Independentemente da decisão, o clube diz que passará também a manter um relatório do que ocorreu em seu banco de dados, junto às informações do cliente —dependendo do ocorrido, o acusado não poderá mais frequentar o local.

A balada diz que essa iniciativa foi adotada para não deixar as decisões de como lidar com casos de abuso e de assédio apenas nas mãos dos seguranças. Racismo, homofobia e transfobia também estarão entre as agressões passíveis de levar à expulsão.

A retomada também será marcada também por um lineup de DJs mulheres. Outra mudança é o uso de copos retornáveis. Os visitantes terão três opções: levar seu próprio copo, alugar ou comprar um.

Apesar da abertura e da volta de eventos sem distanciamento, a pandemia de coronavírus ainda não foi superada no país. Médicos seguem recomendando que, mesmo com a vacinação completa, as pessoas sigam usando máscara no rosto e optando por lugares abertos ou ventilados na hora de sair de casa.

Selva 011

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais