Conheça restaurantes em São Paulo que são uma viagem para outros mundos

Comidas típicas e ambientes temáticos ganham força no circuito gastronômico paulistano

Esther Morel
São Paulo

Os amantes de séries e livros sabem que é possível fazer longas viagens sem precisar entrar num avião ou numa máquina do tempo. É possível também viajar com alguns restaurantes na cidade de São Paulo.

O Escandinavo, no bairro de Pinheiros, por exemplo, mostra logo na entrada que não estamos mais no Brasil. A mesa única, bem no centro do salão, dá o tom do espaço —minimalista, rústico e aconchegante. A culinária combina vários elementos de países da Escandinávia, possibilitando um cardápio autoral e altamente rotativo.

Durante a semana, o atendimento é exclusivo pelo delivery próprio. O pannukkakku (R$ 18), panqueca finlandesa cremosa, assada com baunilha e blueberry, e o cookie brunost (R$ 16), feito com queijo marrom norueguês de leite de cabra, são itens fixos para arrematar o prato do dia, que muda semanalmente. A L.A.X.S.A.L.L.A.D., preparada com salmão curado e defumado da casa, molho com dill fresco, mostarda em grãos com hidromel e limão-siciliano, pão polar, tomatinhos confit, blueberries frescas, ramos de dill e folhas verdes, passou recentemente pela carta e custa R$ 62.

Para quem está saindo de casa de vez em quando, vale garantir um lugar nos jantares harmonizados, que saem por R$ 260 por pessoa, aos sábados. Ou então optar pelos brunches, a R$ 140 por pessoa, aos domingos. Os oito anos de intercâmbio da chef Denise Guerschman na Noruega são condensados em um menu especial, com bebidas e pratos pensados como uma viagem por sabores escandinavos. E ainda é possível reservar o espaço para grupos fechados de até 12 pessoas em um julebord —tradicional banquete natalino para confraternização de fim de ano para empresas, famílias e amigos.

Mas é possível escolher um cardápio em português, sem sair da temática europeia. O Mirandês concentra anos de cultura, história e tradições gastronômicas lusitanas no centro da capital paulista.

Vitor Pires é, literalmente, o mirandês. Foi de sua cabeça que saiu toda a concepção do restaurante, baseada no que aprendeu com a sua mãe em Miranda do Douro, cidadezinha portuguesa na fronteira com a Espanha. Para ele, a ideia é mostrar ao público uma culinária regional e todas as influências resultantes de diversas invasões e centenas de anos de miscigenação.

O ambiente incorpora a atmosfera das casas de vila, com barricas de vinho, balcão de pedra e azulejos portugueses em destaque.

No prato, todas essas inspirações ficam claras no Bacalhau à Braz (R$ 59). Ao contrário das montagens comuns, que levam batata palha, aqui ele é montado com batata frita palito, bacalhau em lascas, salsinha, páprica, alho e ovo quebrado em cima. O arroz de bacalhau (R$ 45), refogado com salsa, azeitonas e condimentos da casa, também é uma boa pedida.

Para finalizar essa viagem, outro estabelecimento faz os clientes voltarem no tempo. A Taverna Medieval reúne contos de fada, obras-primas da literatura, filmes de animação, mitologias e histórias reais.

Desde a entrada, percebe-se que estamos em outra era, com bobos da corte e magos recebendo as "ladies" e os "lordes" para uma happy hour.

Comece a aventura pedindo uma das poções. Servidos em balões de ensaio que remetem aos alquimistas, os drinques fazem sucesso, desde a Solução Secreta de Flamel (gim, xarope de alecrim com mel e limão, a R$ 29) até o drinque do Rei Arthur (uísque escocês, licor de marula, creme de leite, licor amaretto, canela e cravo, também a R$ 29). Quem é do clã da cerveja, pode apostar no chope artesanal, servido em um canecão de 700 ml, a partir de R$ 23.

Um dos petiscos mais pedidos é a Cebola de Tão-Tão Distante —a R$ 39, traz cebolas empanadas e recheadas com queijo, pernil desfiado, temperadas com relish de pimentão defumado, remetendo diretamente do reino mágico do personagem Shrek.

Mas o forte da casa são mesmo os hambúrgueres, como o Ragnarök (R$ 41), feito com hambúrguer bovino de 180g, cheddar empanado, bacon crocante, queijo prato, relish de pepino e maionese da casa no pão australiano. Entre uma mordida e outra, é possível aproveitar para testar a mira no tiro ao alvo e ativar a imaginação durante uma partida de RPG.

As casas fazem parte do projeto Achados Elo, que tem apoio da empresa de cartões e faz uma curadoria de estabelecimentos com opções únicas em São Paulo. A seleção é feita pela equipe do Guia Folha e segue os mesmos critérios e análises usados semanalmente pelo suplemento. ​

Escandinavo
R. Deputado Lacerda Franco, 141, Pinheiros, região oeste, tel. 95144-4486. Sáb.: 19h30 às 21h30. Dom.: 11h30 às 13h30. Delivery via WhatsApp e retirada: seg.: 14h às 18h. Ter. a sáb.: 10h às 18h. Dom.: 10h30 às 12h30. $$$$

O Mirandês
R. Canuto do Val, 216, Vila Buarque, região central, tel. 3661-8538 e 96408-5642 (WhatsApp). Ter. a sáb.: 12h às 15h e 18h às 22h. Dom.: 12h às 18h. Delivery via iFood. $$$$

Taverna Medieval
R. Gandavo, 456, Vila Clementino, região sul, tel. 4114-2816. Ter. a sex.: 18h às 22h. Sáb. e dom.: 12h30 às 14h30 e 16h às 22h. Delivery via iFood e retirada no local. É necessário fazer reserva. $$

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem