Descrição de chapéu alimentação
Achados Elo

Saiba onde provar wagyu em SP, a carne dos bois que bebem cerveja e fazem massagem

Mais nobre do mundo e também chamada de kobe beef, iguaria é macia, marmorizada e suculenta

São Paulo

Cerveja, saquê e até massagens fazem parte da rotina dos bois da raça wagyu, cultivada há séculos no Japão. Esse tratamento especial, somado a uma boa nutrição e a uma seleção rígida do gado, faz com que sua carne seja macia, marmorizada e suculenta.

Também chamada de kobe beef, em referência à cidade japonesa de origem do gado, a carne de wagyu tem como destaque um raro grau de marmoreio, o mais alto que existe. Essa gordura saudável, que fica acumulada entre os músculos do animal, é a principal responsável por suas características mais nobres.

Não à toa ela é considerada a carne mais nobre do mundo —e também uma das mais caras. O quilo do ancho de wagyu importado, por exemplo, pode custar até R$ 895 em açougues de São Paulo. O mesmo corte, mas de gados cultivados no Brasil, sai a R$ 349 o quilo, em média.

Para quem quer degustar a carne sem gastar tanto assim, há restaurantes e hamburguerias na cidade que oferecem pratos com a iguaria japonesa, mas que não pesam tanto no bolso.

Em uma casa descolada no bairro de Pinheiros, a Koburger é uma hamburgueria dedicada especialmente à carne kobe. A proposta do chef Thiago Gil é servir lanches artesanais com cortes de wagyu a preços acessíveis —há opções a partir de R$ 16.

Para estrear, a dica é o kocheesebacon (R$ 24), que leva no pão brioche um burger de kobe de 135 g, queijo prato e tiras de bacon, com crocância que contrasta com a maciez da carne, que chega a quase derreter na boca.

Outra sugestão é o japanese burger (R$ 32), preparado com um disco de 135 g, maionese de wasabi, sunomono, queijo prato crocante, shimeji na manteiga com saquê, alface americana e molho oriental do chef no pão italiano.

O Japão é também uma das bases da cozinha do Imakay, que mistura sabores do Peru com técnicas do oriente. Por lá, é possível provar a carne kobe na forma de sushi (R$ 38 duas unidades). Ela vem levemente selada na parrilla, complementada com gema de ovo de codorna e flor de sal.

Os visitantes ainda podem optar por grelhar a carne por conta própria, aventurando-se no preparo de um sashimi. O restaurante oferece seis (R$ 60) ou 12 (R$ 120) cortes da carne crua, que chegam fininhos para embeber em um molho à base de shoyu e finalizar em uma chapa instalada na mesa.

Outra casa de inspiração nipônica, o Koya88, bar recém-inaugurado na Vila Buarque, oferece duas opções com a carne de wagyu. Dá para provar a costela marinada por 48 horas no molho kalbi, típico do churrasco coreano (R$ 68), ou pedir o wagyu smash burger (R$ 39), preparado com um blend de carnes que inclui pescoço, acém e costela de kobe, mais queijos americano e Monterey Jack, maionese japonesa feita com kombu, shoyu e vinagre de arroz, molho tonkatsu e cebola branca.

Koburger
R. Padre Garcia Velho, 83, Pinheiros, região oeste, tel. 3031-1779. Ter.: 18h às 22h. Qua. a sex.: 11h30 às 16h e 18h às 22h. Sáb.: 12h às 16h e 17h30 às 22h. Delivery via iFood e retirada no local. $

Imakay
R. Urussuí, 330, Itaim Bibi, região sul, tel 3078-7786. Seg. a sex.: 12h às 15h e 19h às 22h. Sáb.: 12h às 16h e 19h às 22h. É recomendável reservar. Delivery via Rappi. $$$$

Koya88
R. Jesuíno Pascoal, 21, Vila Buarque, região central, tel. 3384-6929. Ter. a sex.: 17h às 22h. Sáb.: 14h às 22h. Dom.: (somente segundo do mês): 13h às 18h. É recomendável reservar. Pedidos via WhatsApp (11) 94066-8846. $$$$

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem