Após baixas, rua Amauri recupera o fôlego com a chegada de novos restaurantes

Chegada de casas como Bistrot Bagatelle e Bottega Bernacca reaquece a via na região do Itaim

Marina Consiglio
São Paulo

Alguma coisa acontece na rua Amauri. 

A via, que já foi sinônimo do que havia de mais badalado na gastronomia paulistana, sentiu o amargor da crise e sofreu baixas nos últimos anos. Entre elas, casas como Ecco, Porto Rubaiyat, Dressing e Starbucks —era a primeira loja de rua da rede no Brasil.

Em 2017, o fôlego começou a voltar com três inaugurações: Aranda, Factório e Café Society. Destes, só o Café Society, inspirado nos bares secretos da década de 1930 com programação de jazz e soul, resistiu —a marca Factório ganhou sobrevida nos Jardins.

Apesar do susto, o movimento crescente se manteve. E a rua, especialmente a parte concentrada entre as avenidas Brigadeiro Faria Lima e Nove de Julho, voltou a atrair empreendimentos gastronômicos, como é o caso do bar Ginteria e dos restaurantes Tess Kitchen e Cebicheria Peruana (antigo La Mar).

Já o número 244, que abrigava o Ecco, ganhou três casas de uma vez. A renovação é comandada pelo grupo +55, responsável no Brasil por marcas como Bagatelle e Burger Joint. Agora, o espaço reúne a unidade paulistana do Bistrot Bagatelle, em operação oficialmente desde janeiro, o terceiro endereço da Bottega Bernacca, que abre as portas em soft opening nesta sexta (15), e, em breve, um restaurante japonês, ainda sem nome. No primeiro andar do mesmo prédio funciona o Skull Bar, de outros donos.

Bagatelle e Bernacca funcionavam nos Jardins (a casa italiana ainda mantém as duas unidades lá). O principal motivo que levou o grupo a escolher o endereço, segundo Gabriel Carvalho, CEO do grupo, foi que “agora, o nosso público está muito mais na região do Itaim. E quando a gente pensa nela, sem dúvida, a Amauri é a rua mais charmosa. Também estamos aproveitando o movimento dos empreendimentos que recentemente abriram ali.”

 

Ginteria reúne drinques e pista de dança no nº 284

Desde o último mês de julho, o número 284 da rua Amauri abriga o Ginteria, endereço especializado em, adivinhe, gim.Em ambiente de inspiração nova-iorquina,  com decoração meio industrial, meio rústica, o negócio ocupa um imóvel de três andares e reúne bar, pista de dança e terraço —ou, como se diz em Nova York, rooftop.

Ali, o destilado do momento aparece em 37 rótulos que podem servir de base para coquetéis assinados por Fabio la Pietra (SubAstor). Com isso, aparecem receitas como o Blue Bull Fizz (gim, vermute seco, vermute tinto, suco de laranja, suco de limão e energético sabor mirtilo). O bartender também criou drinques com outras bases, caso do Cinema Fizz (rum Havana 3, suco de limão, xarope de pipoca, Coca-Cola e espuma de candy cola). Cada um custa R$ 36.

Drinque Gin Gin Mule (R$ 36) servido na Ginteria
Drinque Gin Gin Mule (R$ 36) servido na Ginteria - Fernando Ducatti/Divulgação

Há ainda uma carta de gim-tônica, esta com assinatura de Alex Azarias e receitas como o Tangy Tonic (com tangerina, hortelã e canela). O bar também prepara drinques clássicos.

A ala comestível traz beliscos como porções de bolinhos (os de carne-seca com ricota saem por R$ 34,90), pratos e sobremesas. De quarta a sábado, a partir das 21h, o local recebe DJs de música eletrônica e hip-hop. Nestes dias, é cobrada consumação mínima.

Tel. 99456-8058. 280 pessoas. Ter. a qui.: 12h às 24h. Sex. e sáb.: 12h às 3h. Valet R$ 25. Cons. mín.: R$ 60 a R$ 150. Até as 20h: grátis. Drinque Gin Gin Mule: R$ 36.

 

Mercearia São Roque, nº 35
A casa que marca o início da rua Amauri é também um dos empreendimentos mais antigos da via —está lá desde 1954, quando era, literalmente, uma mercearia. Foi em 1990, depois de uma reforma assinada pelo arquiteto Sig Bergamin, que o local passou a funcionar no formato que mantém até hoje, de bar. O sobrado colorido e arejado está aberto todos os dias e bomba no happy hour. Por ali, a clientela degusta de petiscos de boteco, como porções de coxinhas e pastéis, a pratos mais elaborados, sempre na companhia de um chopinho ou caipirinha.
Tel. 3062-2612. 200 lugares. Seg. a dom.: 12h às 24h. Não aceita tíquetes.

Nice to Meat U, nº 40
Aberto no último mês de setembro, a churrascaria moderninha é uma das novidades da via. Num trecho mais pacato, já que o movimento da Amauri se concentra na parte entre as avenidas Nove de Julho e Brigadeiro Faria Lima, o menu da casa destaca as carnes, preparadas na parrilla ou no fogo de chão. Há também um bar anexo, no qual se pode pedir drinques como o uísque sour ou o caju amigo.
Tel. 2737-9007. 75 lugares. Ter. a sex.: 12h às 15h e 19h às 24h. Sáb.: 13h às 18h e 19h às 24h. Dom.: 12h às 19h. Não aceita tíquetes.

Osaka, nº 234
O número 234 abriga este restaurante batizado com nome de cidade japonesa, mas cuja cozinha mescla também influências andinas e chinesas. Filial de uma casa de Lima (Peru), tem no menu ceviches, sushis, sashimis e pratos quentes. Entre as receitas, um destaque é o pirarucu grelhado e marinado no molho de missô e na manteiga de coco.
Tel. 3073-0234. 140 lugares. Seg. e ter.: 12h às 15h e 19h às 24h. Qua. e qui.: 12h às 15h e 19h à 0h30. Sex.: 12h às 15h e 19h30 à 1h. Sáb.: 12h às 16h e 19h30 à 1h. Dom.: 12h às 17h e 19h às 23h. Não aceita tíquetes.

Bottega Bernacca Tre, nº 244
Com duas unidades na rua Padre João Manuel, na região dos Jardins, este misto de wine-bar com restaurante de cozinha italiana estreia na via nesta sexta (15), em sistema de soft opening. O prédio escolhido, aliás, abriga outros endereços gastronômicos —o Bistrot Bagatelle (leia abaixo) e uma casa japonesa, que será inaugurada nos próximos meses. além do Skull Bar. No menu da Tre, como no da matriz, o destaque são as massas, com clássicos italianos e três receitas emprestadas da rede nova-iorquina Cipriani —o carpaccio, o tagliolini gratinado e o Amatriciana Bianca, um espaguete com molho a base de cebola cozida mais pancetta e presunto salteados.
S/ tel. 34 lugares. Seg. a sáb.: 19h às 23h30. Não aceita tíquetes. 

Bistrot Bagatelle, nº 244
Este é outro restaurante originário da rua Padre João Manuel que ganhou endereço na via gastronômica —mas o caso aqui é de migração mesmo. A casa começou a operação na Amauri, oficialmente, em janeiro. Filial de uma rede nova-iorquina, o elegante endereço tem receitas como o Calamars à la Plancha –lula crocante, tomate confitado, bok choy, ervilha torta, nirá e manteiga “maitre d’hôtel”. Entre as novidades, está a terrine de foie gras com geleia de figo e torradas de brioche.
S/ tel. 115 lugares. Ter. e qua.: 19h à 1h. Qui. a sáb.: 19h às 2h. Dom.: 15h às 22h. Não aceita tíquetes. 

Skull Bar, nº 244
O inquilino mais antigo dos que estão abrigados no número 244 da rua é este bar —para acessá-lo, é necessário subir de elevador. Inspirada na arte de rua, suas paredes de tijolinhos aparentes têm caveiras grafitadas por Cusco Rebel. De quarta a sábado bandas de pop rock se apresentam. Para bebericar, o menu tem drinques como o mojito ou o gim-tônica.
Tel. 3071-2910. 350 lugares. Qui. a sáb.: 21h às 4h. Não aceita tíquetes. Ingr. ou cons. mín.: R$ 30 a R$ 100. 

Parigi, nº 275
Está por ali desde 1998 este restaurante do grupo Fasano cuja cozinha reúne influências francesas e italianas —o menu, inclusive, se divide entre os clássicos das duas culinárias. Sucesso das antigas, o bollito misto é oferecido no almoço às quartas, às sextas e aos domingo e é servido por Ático Alves de Souza, 91, o funcionário mais antigo do grupo, com 28 anos de empresa.
Tel. 3167-1575. 90 lugares. Seg. a qui.: 12h às 15h e 19h à 0h30. Sex.: 12h às 16h e 19h à 1h. Sáb.: 19h à 1h. Dom.: 12h às 17h. Não aceita tíquetes.

Tess Kitchen, nº 286
Aberto em novembro, o endereço da rua Amauri é a versão restaurante do café fitness que da Vila Olímpia. Em ambiente charmoso, a cozinha tem inspiração americana, com espaço para pratos, lanches e doces que tanto podem ser saudáveis quanto calóricos. Dá, por exemplo, para emendar a tigela de grão-de-bico ao curry com legumes, couve-flor e salmão com doces, como os cookies com sorvete e ganache. Uma opção light de sobremesa é a torta de chocolate, com base de amêndoas, chocolate sem açúcar e caramelo salgado feito com xilitol.
Tel. 3078-6378. 100 lugares. Seg. a qui.: 8h às 22h30. Sex. e sáb.: 8h às 23h. Dom.: 8h às 16h. 

Cebicheria Peruana, nº 328
Em novembro, a unidade paulistana da rede peruana La Mar, do chef Gastón Acurio, se mudou para a rua Amauri. O momento da troca de endereço também marcou a decisão dos proprietários de não renovar o contrato com a franquia. Com isso, ganhou novo nome —mas manteve equipe e proposta. O destaque, é claro, são os ceviches, que ganham quatro versões. A Barranco é feita com salmão, leite de tigre de coco, lichia e ninho de batata-doce roxa. Na ala dos principais, há o polvo frito com barriga de porco laqueada, servidos com creme de batata, acelga chinesa, cebola assada e crocante de gengibre.
Tel. 3073-1213. 120 lugares. Seg. a sex.: 12h às 15h e 19h às 24h. Sáb.: 12h às 16h e 19h às 24h. Dom.: 13h às 17h. 

Vélo48 Bikes & Coffee, nº 311
O espaço, que nasceu de um clube de ciclismo, é quase um parque de diversões para os fãs do esporte: especializado em bicicletas de estrada, reúne oficina, loja com acessórios, vestiário, café e restaurante. A ala das comidinhas tem receitas de pegada fitness, com saladas, sanduíches, omeletes e pratos. Tem também combos de café da manhã, salgados e doces. Para beber, além de cafés preparados em diferentes métodos, oferece drinques, cervejas e bebidas vegetais —um exemplo é o Golden Milk, de cúrcuma com gengibre.
R. Amauri, 311, Jardim Europa, região oeste, tel. 4780-0604. 47 lugares. Seg. a sáb.: 7h às 20h. Dom.: 7h às 18h. 

Forneria San Paolo, nº 319
Inaugurada por João Paulo Diniz, a casa está na via desde 2001 —desde então, ganhou unidades nos shoppings Pátio Higienópolis e JK Iguatemi. O forte da cozinha são os sanduíches e os paninis —mas há também opções de pratos, como risotos, massas e carnes. O cardápio tem veia italiana; algumas das receitas são finalizadas no forno a lenha. A pracinha que do outro lado da rua também pertence à rede e reabriu na última quarta (13), após uma breve reforma, com o mesmo serviço do restaurante. 
Tel. 3078-0099. 140 lugares. Seg. a qui. e dom.: 12h às 24h. Sex. e sáb.: 12h às 2h. Valet R$ 25.

Café Society, nº 334
Inspirado nos bares secretos da década de 1930, o local é um dining club de clima intimista com decoração de inspiração art déco e noites embaladas por bandas de jazz e soul. Na sociedade, estão nomes de peso como Seu Jorge e Álvaro Garnero, entre outros. Para acompanhar os shows, a casa oferece beliscos como as tapas de ravióli com sementes de abóbora e drinques, caso do Mango Pepper, com três intensidades à escolher na adição de pimenta.
Tel. 3071-4591. 150 lugares. Ter. a sáb.: a partir das 19h30. Não aceita tíquetes. Couv. art., a partir de: R$ 48. 

Yellow Giraffe, nº 356
O último número gastronômico da rua Amauri é também o mais próximo da avenida Faria Lima. Inspirado no velho Frevo, tem ambiente um pouco mais moderno. No menu, as sugestões são o beirute, especialidade da casa, e o carpaccio paulista com alface, cenoura ralada, palmito e champinhom. A cozinha funciona até às 2h aos fins de semana.
Tel. 3079-2438. 48 lugares. Seg. a qui. e dom.: 11h30 à 1h. Sex. e sáb.: 11h30 às 2h. Valet R$ 20. ​

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais