Descrição de chapéu música
Noite

Baladas de São Paulo fecham pistas e abrem cozinhas para sobreviver à pandemia

Distanciamento e público sentado transformam casas noturnas em restaurantes convencionais

O clube Alberta #3 mudou o ambiente e está investindo no delivery de drinques, servindo almoço e vendendo peças de decoração

O clube Alberta #3 mudou o ambiente e está investindo no delivery de drinques, servindo almoço e vendendo peças de decoração Gabriel Cabral/Folhapress

São Paulo

Com as portas fechadas desde meados de março, quando foi instituída a quarentena no estado em função da pandemia da Covid-19, as baladas e casas noturnas paulistanas estão tendo que se virar para sobreviver. Afinal, fica cada vez mais claro que aglomerações só serão seguras após a vacina.

Com isso, o fervo das pistas e o burburinho da noite foi substituído, ainda que temporariamente, por atividades bem mais comportadas, que respeitam o distanciamento físico de pelo menos um metro e meio.

É o caso da Balsa, por exemplo, que colocou mesas em seu terraço com vista para o viaduto Santa Ifigênia e agora recebe o público sentado para refeições e drinques, além de ter aberto uma loja online. O Tokyo também mudou o desenho do terraço, onde havia uma pista, para transformá-lo em refeitório. Já o Madame, clássico do underground, agora vende hambúrgueres e máscaras estampadas. E por aí vai.

Confira como estão funcionando alguns dos clubes noturnos da cidade.

*

Alberta #3
Enquanto a famosa pista subterrânea não volta a funcionar, a balada no centro incorpora o formato pub com mesinhas distribuídas na entrada e no mezanino do espaço —que já era bem decorado, mas ganhou um up com os achados de Drica Cruz, que também montou ali o antiquário A Bruxa. Além de levar peças para casa e bebericar drinques (a gim-tônica promocional sai por R$ 19), a casa agora tem comidinhas como o rondelli com molho de tomate assado e especiarias (R$ 26) e o wrap de carne louca, queijo ou creme de grão-de-bico (R$ 18).
Av. São Luís, 272, República, região central. Qua. a sáb.: 16h às 22h. Dom.: 12h às 18h. Delivery via WhatsApp (11) 97361-5348: qua. a sáb.: 16h às 20h. Dom.: 12h às 20h.

​​Balsa
Em um predinho na região central, o espaço, um bar com clima de festa, voltou a receber o público no último sábado (5). Agora, todo o serviço se concentra no terraço, que recebe até 38 pessoas, com ingressos comprados antecipadamente, mesas e destaque para a cozinha: o valor cobrado na entrada já contempla alguns petiscos, refeições e drinques. Também abriu uma loja online com objetos decorativos garimpados pelos proprietários, além de panos de prato e camisetas desenhados por eles.
R. Cap. Salomão, 26, Centro, região central. Sáb. e dom.: 14h às 20h. Ingr. combo p/ 2 a 4 pessoas: R$ 250 a R$ 500 p/ abalsa.org.

Cabaret da Cecília
Promove jantares mediante reservas e para grupos fechados de até 15 pessoas. O menu custa R$ 100, tem três etapas (entrada, principal e sobremesa), com pratos como risotos e massas. É possível, ainda, estender a noite no subsolo da casa, com apresentações de piano ou de strip masculino —com valores a negociar.
R. Fortunato, 35, Vila Buarque, região central. Ter. a sáb.: a partir das 21h. Preço: a partir de R$ 100. É necessário fazer reserva via WhatsApp (11) 98489-8228.

Devido à pandemia, A Balsa reabre com novo formato: público sentado e vendas antecipadas
Devido à pandemia, A Balsa reabre com novo formato: público sentado e vendas antecipadas - Divulgação

Caracol
Badalado, o bar ficou conhecido pela atenção dedicada ao som, nos quesitos qualidade e programação de DJs. Com a pandemia, a trilha sonora passou a ser executada com playlists e os olhares se voltaram para a oferta de comidinhas e drinques da casa —também disponíveis via delivery. O menu cresceu, com opções como polenta com ragú de costela e arroz de frutos do mar, que são degustados no ambiente externo do imóvel.
R. Jaguaribe, 76, Vila Buarque, região central. Qui. e sex.: 18h às 22h. Sáb.: 15h às 22h. Delivery via Goomer ou retirada.

Heavy House
O híbrido de bar, balada e casa de shows que ocupa uma ruazinha de pedra em Pinheiros voltou os olhos para seu lado gastronômico durante a pandemia. No espaço arejado são servidas novidades como a costela laqueada com molhos da casa e holandês, purê de mandioquinha queimada, arroz selvagem e cebola frita (R$ 52). Aos domingos um trio de jazz e o DJ Beto Chuquer complementam o cardápio com música.
R. Benjamim Egas, 297, Pinheiros, região oeste. Qui. e sex.: 18h às 22h. Sáb.: 14h às 22h. Dom.: 13h às 22h. Delivery via WhatsApp (11) 94933-3763, iFood ou Rappi: qua. a sex.: 18h às 23h. Sáb.: 14h às 23h. Dom.: 14h às 23h.

O salmão curado com ervas é um dos pratos servidos no Jerome
O salmão curado com ervas é um dos pratos servidos no Jerome - Victor Vivacqua/Divulgação

Jerome
O clube de Higienópolis já mira nos drinques engarrafados para delivery desde junho, mas recentemente também abriu as portas para servir pratos no almoço e no jantar —com janelas abertas e medidor de temperatura. Entre as opções, aparecem o carpaccio de salmão curado com ervas e especiarias, que acompanha salada de folhas (R$ 47), e a torta de chocolate com caramelo salgado, praliné e sorvete de baunilha (R$ 23) para a sobremesa. Das caixas de som da pista saem sets de música ambiente pré-gravados por DJs da casa.
R. Mato Grosso, 398, Higienópolis, região central. Ter.: 12h30 às 14h30. Qua. a sex.: 12h30 às 14h30 e 18h às 22h. Sáb.: 16h às 22h. Delivery via WhatsApp (11) 99954-0477 ou iFood.

Kingston
O clube de inspiração jamaicana reabriu as portas em agosto e agora funciona com mesinhas espalhadas pelo espaço e com DJs e músicos no palco para manter a energia musical que guiava as festas antes da pandemia. Por ali é possível pedir pratos como a Costela Jerk (R$ 32), assada, grelhada e servida com o molho da casa, o sanduíche de frango frito com cheddar, maionese verde e alface (R$ 25) e drinques, como o Ginbisko (R$ 27 ou R$ 29), à base de gim.
R. Álvaro Anes, 97, Pinheiros, região oeste. Qui. e sex.: 17h às 22h. Sáb. e dom.: 16h às 22h. Delivery via WhatsApp (11) 93455-0640 e via Rappi: qua. a dom.: 18h às 24h.

O Ginbisko, drinque a base de gim servido no Kingston
O Ginbisko, drinque a base de gim servido no Kingston - Divulgação

Madame
Clássico do underground paulistano, o clube promove lives diárias enquanto não reabre a pista —no sábado (5) rolou a de número 180. No dia 26/9, promove uma festa virtual de lançamento do álbum dessas lives e também do aniversário de 35 anos de DJ de Gé Rodrigues, sócio da casa. Para levantar dinheiro, vende souvenirs como máscaras com estampas roqueiras, relógios, camisetas e caixõezinhos, e investe na gastronomia, com hambúrgueres, massas (afinal, o negócio está no Bixiga) e bebidas no salão e também no delivery. São duas as lojas no iFood: Fino’s Burger e Madame Club.
R. Cons. Ramalho, 873, Bela Vista, região central. Qui. a dom.: 18h às 22h. É necessário fazer reserva. Delivery via iFood. Seg. a dom.: a partir das 19h.

Sputnik
A casa noturna no Arouche famosa pelo espaço com luzes em LED e sala de karaokê funciona apenas com a área do restaurante e do bar, mas mantém a música com versões adaptadas de algumas festas com todos sentados em mesas distanciadas. Ao som de música brasileira, rock, indie e pop, é possível comer pratos como o yakissoba veggie, o clássico bife com fritas ou a porção de bolinhos de arroz, todos por R$ 20.
Lgo. do Arouche, 330, República, região central. Sex. a dom.: 16h às 22h. Delivery pelo tel. (11) 3221-4905, via WhatsApp (11) 96874-9327, Rappi ou iFood: ter. a dom.: 12h às 22h.

O espaço onde funciona a balada Tunnel foi adaptado para ser um espeto bar
O espaço onde funciona a balada Tunnel foi adaptado para ser um espeto bar - Divulgação

Tunnel
A balada LGBT, uma das mais antigas da cidade, começou a explorar o serviço da cozinha após o início da quarentena. Durante a semana, oferece almoço por delivery ou no salão, com opções como sanduíches, pizzas e pratos do dia, com receitas como o contra-filé acebolado com arroz, feijão e acompanhamentos à escolha. O menu —e o clima— muda aos finais de semana: aos sábados, tem feijoada; aos domingos, serve espetos. Tudo, com trilha sonora animada pelo DJ da casa. Também tem serviço de entrega de bebidas alcoólicas.
R. dos Ingleses, 355, Bela Vista, região central, tel. 3285-0246. Ter. a sex.: 11h às 16h. Sáb. e dom.: 14h às 20h. Delivery via WhatsApp (11) 93210-0933, iFood e Rappi.

Tokyo
O espaço multiuso que ocupa um prédio inteiro na região central reabre para o público a partir desta quarta (16) sem as baladas que o tornaram famoso. Enquanto não é possível retomar a pista, o terraço teve o ambiente reformulado para abrigar o restaurante da casa, de comida japonesa, além de servir novos drinques da bartender Michelly Rossi. O karaokê volta a funcionar com apenas quatro mesas, cada uma com kit próprio, que inclui microfones descartáveis. Participante do projeto piloto Ocupa Rua, a casa também ganha uma área para servir comes e bebes na rua. É preciso reservar antes, via telefone ou pelas redes sociais da casa.
R. Mj. Sertório, 110, Vila Buarque, região central, tel. (11) 3159-0190. Qua. a sex.: 12h às 14h e 17h às 22h. Sáb.: 14h às 22h. Dom.: 12h às 20h. Ingr.: a partir de R$ 20 (consumíveis).

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais