Minúsculo, Báhn Mì serve cozinha típica das ruas do Vietnã

LUIZA FECAROTTA
São Paulo

O minúsculo Báhn Mì Vietnam se manteve às escondidas em uma rua residencial da Bela Vista desde que abriu, no último mês de agosto.

Ali, encontram-se preciosidades da cozinha desse país alongado, com mais de 3.000 km de costa. Sobressaem o uso de ervas aromáticas, conservas com intensa acidez e um típico molho de peixe adocicado, enriquecido com açúcar, vinagre, limão, alho e pimenta, cujo gosto remete ao quinto sabor, o umami, que se prolonga na boca. Uma beleza.

Notam-se conservados traços de influências não só da geografia mas também da história do Vietnã, marcada por guerras e ocupações. Sob domínio chinês por mais de um milênio, por exemplo, o país introduziu em sua cultura o cultivo do arroz.

Desse grão, pois, são recorrentes elementos como a folha de arroz, usada para embalar rolinhos frescos de alface, hortelã, shimeji e coentro —com ou sem carne de porco. Ficam mais gostosos quando besuntados no molho agridoce de amendoim (R$ 12).

Da França, que começou a ocupação no século 19, herdou elementos como o pão, os patês, a maionese. Estes se encontram, inclusive, no sanduíche que dá nome à casa, receita típica das ruas do Vietnã. O patê caseiro de fígado de boi é combinado a conservas agridoces de nabo e cenoura, carne de porco caramelizada e coentro (R$ 18,50).

No Bánh Mì, um dos sócios é o vietnamita Yann Dupierre. O sócio argentino Adrián Polimeni divide com ele a tarefa de preparar e servir as duas mesinhas que ficam sobre a calçada.

Os sabores, uma sucessão de surpresas, são expressos em receitas intrigantes e bem-feitas. A salada de macarrão de arroz, carne assada (ou tofu) e alface (as folhas mereciam mais vigor, aparecem machucadas, murchas) ganha incremento e complexidade com farofa de amendoim e molho doce de peixe (R$ 25).

Tamarindo e chá de capim-limão fazem base para a sopa, na qual surgem imersos pedaços de abacaxi, broto de feijão, quiabo, tomate, cogumelos e salsão (R$ 28).

O cardápio, escrito na lousa, é micro, e os pratos, todos com versões veganas, são feitos na hora e podem demorar mas a espera faz parte do ritual, há que aproveitá-la para observar.

Avaliação: bom

R. Almirante Marques Leão, 672, Bela Vista, região central, tel. 97754-1856. 10 lugares. Seg. a sex.: 12h às 21h30. Sáb.: 13h às 16h e 19h às 21h. 

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais