Descrição de chapéu Crítica
Restaurantes

Muquifo tem entrega impecável, embora pratos sofram com calor

Familiar, restaurante da chef Renata Vanzetto passou a operar apenas com delivery via aplicativos

Muquifo Delivery

  • Quando Ter. a sex.: 12h às 15h e 19h às 23h. Sáb.: 13h às 16h e 19h30 às 23h30. Dom.: 13h às 17h.
  • Onde R. Consolação, 2.910, Cerqueira César, região oeste, tel. 98232-7677. Disponível no iFood

Nesta última semana, São Paulo assistiu a uma movimentação inédita na gastronomia. Chefs e donos de restaurantes fecharam suas portas para conter a pandemia do novo coronavírus, com o risco de ruir. Estão a se movimentar, emergencialmente, para colocar em prática um novo modus operandi que os sustente —e que nos sustente.

Não se trata de mera necessidade biológica. Aqui, nos cabe enxergar a comida como objeto de desejo, capaz de saciar o homem hedonista. E, nestes tempos sombrios, em que estamos privados do convívio social, é preciso preservar prazeres como os da mesa.

Pratos do delivery do restaurante Muquifo, da chef Renata Vanzetto
Pratos do delivery do restaurante Muquifo, da chef Renata Vanzetto - Luiza Fecarotta/Folhapress

Para dar início a essa série de testes de delivery, fiz um pedido no Muquifo, de Renata Vanzetto —talvez para evocar o conforto de suas receitas familiares. À frente também do EMA, MeGusta, Matilda e Mé, a chef anunciou que, no momento, as casas operam apenas com delivery via aplicativos.

O serviço foi impecável: aplicativo funcional, tempo de espera curto e dentro do planejado, embalagens de papel. As sardinhas provocantemente avinagradas, com leve picância, enriquecidas com cebola cortada em plumas, salsinha, pimenta e azeite (R$ 24) foram as que melhor viajaram.

Vibrou pouco a pimenta-calabresa do rigatoni à matriciana (R$ 89), mas a massa chegou al dente, envolta no molho de tomate com guanciale. Na versão de Vanzetto, em que os italianos e os caiçaras se encontram, essa receita recebe lulas à dorê. Ainda que tenham sido cuidadosamente transportadas separadamente, perderam crocância pelo caminho.

O milanesa de filé-mignon, por sua vez, chega como servido no restaurante, altinho e rosado com a crosta preservada, escoltado por folhinhas de rúcula —estas, também enviadas à parte, sofreram um pouco com o calor.

Em sua companhia, as batatas da vó Cida, laminadas e deliciosamente melecadas em creme de leite e manteiga antes de ir ao forno —mas o preço do combo espanta, R$ 100.

Na sobremesa, é difícil desviar do bolo de cenoura, que virou fetiche. A fatia, bem gorducha, foi entregue nos trinques com uma camada espessa de brigadeiro (R$ 25).

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais