Descrição de chapéu Crítica dinossauro
Restaurantes

Hamburgueria inspirada em 'Jurassic Park' serve ótimo hambúrguer com preço de parque temático

Com serviço igual ao do McDonald's, lanchonete temática tem fila na porta e reservas esgotadas

Jurassic Park Burger Restaurant

  • Onde R. Prof. Atílio Innocenti, 53, Itaim Bibi, zona oeste
  • Instagram instagram.com/jurassicparkburgerrestaurant

Sou apenas um coroa rabugento. Ambientes temáticos não me impressionam, e me enfastia a adoração de elementos da cultura pop. Assim, quando a Folha encomendou a resenha de uma hamburgueria dedicada a “Jurassic Park”, ponderei: para fazer justiça à lanchonete em questão, eu precisava do Pedro.

“Jurassic Park” é o filme dirigido por Steven Spielberg e lançado em 1993, sobre um parque safári com dinossauros redivivos pela tecnologia genética –tudo dá ruim, e aí mora a diversão. Jurassic Park Burger Restaurant é a casa recém-aberta no Itaim Bibi, na zona oeste, que serve hambúrgueres em sistema fast food numa casa decorada com réplicas de dinossauros e farta memorabilia do filme.

Pedro é o meu filho de nove anos. Neste caso, a opinião dele importa muito mais do que a minha.

Chegamos pouco antes das 18h, encaixe de horário que nos arranjou a assessoria de imprensa do lugar —pelas vias regulares, as reservas já estão esgotadas até o fim do ano, tamanho o sucesso da novidade.

Mesmo com a chuvinha chata que caía no sábado (9), uma fila se formava da porta da hamburgueria até o fim do quarteirão, por cerca de 60 metros. Era a lista de espera, o bonde dos esperançosos pela desistência dos clientes com reserva.

Pegamos nossos crachás, imitando as identificações de funcionários do parque fictício do filme, e entramos. Lanchei com um crachá pendurado no pescoço, algo que me recusava a fazer nos 20 anos em que trabalhei no regime CLT.

A casa opera em esquema de serviço (ou não serviço) idêntico ao do McDonald’s ou do Burger King. O cliente paga e espera chamarem sua senha para receber uma bandeja plástica com a comida acondicionada em caixas de cartolina.

Os alto-falantes tocam em loop o “Theme From Jurassic Park”, de John Williams, como quando você esquece a TV ligada nos créditos finais do filme.

Eu me deixava levar pela irritação, então olhei para o Pedro. Seus olhos brilhavam de fascinação com os lagartões de fibra e todas as referências ao redor. Ele se lembrava de detalhes apagados da minha memória, e devo ter visto “Jurassic Park” umas seis vezes: o vídeo tutorial exibido nos monitores, o mapa do parque, qual dinossauro havia devorado quem.

Daí chegou a comida, ponto em que minha opinião talvez valha algo.

Pedimos um combo Jurassic Kids (cheeseburger com fritas, R$ 37), um cheese-bacon (R$ 31), um dedo de tiranossauro (asa de frango desossada e recheada com a própria carne e queijo, besuntada em molho agridoce, R$ 18), um suco de laranja (R$ 10), um ovo de dino (choux cream, carolina recheada de creme, R$ 17) e uma garra de velociraptor (chocolate recheado de caramelo, em forma de unha, R$ 12). Total: R$ 125.

Réplica de tiranossauro na hamburgueria, em São Paulo
Réplica de tiranossauro na hamburgueria, em São Paulo - Bruno Ruas/iShoot/Folhapress

O dedo de T. rex, apesar de ser anunciado como “T-Rex fingers”, no plural, era um só; apesar de úmido e saboroso, era pouca comida.

O cheese-bacon, com queijo fundido e bacon feitos na casa, fica muitos degraus acima de qualquer fast-food sob qualquer aspecto. Aliás, é um sanduíche excelente em todos os quesitos: do frescor do pão ao ponto da carne à dosagem do sal ao sutil dulçor do bacon. É muito pequeno, porém.

Os doces também são ótimos. Em especial o choux cream, pequeno em termos absolutos, mas gigante em comparação ao minúsculo chocolate que emula a unha de dinossauro.

A cozinha tem grife, é coordenada pelo talentoso e meticuloso Fábio Moon, da lanchonete Fat Cow. Apesar da correria do serviço, ele impõe um padrão impressionante para uma lanchonete temática.

Cheese-salada do Jurassic Park Burger Restaurant
Cheese-salada do Jurassic Park Burger Restaurant - Divulgação

O Pedrão amou tudo, até o crachá. Até a comida, que ele classificou como equivalente ao seu outro hambúrguer favorito (eu discordo: é melhor).

Se interessar a alguém minha opinião, é uma cantina de parque temático com qualidade dissonante (para o lado bom), preço consoante e muitos dos perrengues próprios desse tipo de programa. Não acompanha o parque temático completo, mas ninguém se demora o bastante para perceber.

As crianças adoram. E sai bem mais barato do que viajar até Orlando. Muito mais fácil também, e isso não é pouca coisa.



Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais