Descrição de chapéu Crítica alimentação
Restaurantes

No shopping, Jun Sakamoto mantém qualidade com melhores preços

Chef renomado traz seção de carnes nobres como novidade no cardápio

Josimar Melo

J1

  • Quando Seg. a sex.: 12h às 15h e 19h às 22h. Sáb.: 12h às 23h. Dom.: 12h às 22h
  • Onde Shopping Villa-Lobos - Av. das Nações Unidas, 4.777, Vila Almeida

Com a abertura do restaurante J1 no shopping Villa-Lobos, os apreciadores do sushiman Jun Sakamoto vão poder provar seus pratos a preços bem mais acessíveis que os de seu restaurante principal. E com boa qualidade.

O espaço é confortável e elegante, com belas louças, mas dentro de um padrão de serviço informal. Os sushis, produzidos em grande quantidade e levados à mesa, não têm o primor que apresentam no balcão da casa mãe, e nem todos os pescados anunciados na carta estão disponíveis. Mas são bons produtos e, na verdade, não estrelam sozinhos o cardápio.

Nota-se que o J1 não tem aqueles menus gigantescos dos restaurantes japoneses paulistanos, mas tem uma curiosa variedade, começando com petiscos com cara de izakaya, como o carague (coxinha de asa de frango frita, R$ 28), e o pãozinho bun com pancetta (R$ 24). ​

Os sushis podem ser pedidos como combinados (o Villa tem quatro duplas com opções como atum, olho-de-boi, carapau, serra e linguado, R$ 78). Mas também são interessantes as sugestões de teishoku, um menu que pode ser, por exemplo, o J1: além de sushi e sashimi, tem um delicada peça de merluza com tempero de missô (além de três acompanhamentos, R$ 80).

Uma surpresa é a seção Steakhouse, de carnes grelhadas. Nela está um respeitável assado de tira, com oito horas de preparo e ótimo ponto, suculento —o toque oriental vem no molho de missô (tem também arroz e mandioca cozida no dashi e depois frita, R$ 70).

O shumai de camarão tem pastéis com massa de guioza, no vapor, meio desmilinguidos (6 unidades, R$ 36); o tartare de atum (picado, com óleo de gergelim e ovas de salmão, R$ 26) carece de sabor, talvez por estar gelado; e empanar a enguia para compor o sushi (como o chef também faz em outros de seus restaurantes, o Junji) é um desperdício, soterra o sabor e a delicadeza do peixe.

Mas delicadeza não falta na sobremesa de sorvete de maçã verde com gelatina de saquê doce (R$ 17), outro dos bons acertos da nova casa de Sakamoto.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais