Chef com duas estrelas Michelin, Felipe Bronze abre primeira casa em SP

Pipo, o novo restaurante do carioca, ocupa o jardim do MIS

-
Marina Consiglio
São Paulo

A expectativa gerada depois da saída do descolado Chez MIS do jardim do Museu da Imagem e do Som, no Jardim Europa, em outubro de 2017, foi grande. Afinal, foi anunciado que o novo restaurante na instituição seria comandado por Felipe Bronze, que abre agora o Pipo, a sua primeira casa em São Paulo.

O chef despontou na cena gastronômica do Rio de Janeiro com seu premiado Oro, no Leblon. Atualmente, a casa é a única carioca a ostentar duas estrelas Michelin, além de estar em 49º no ranking 50 Best da América Latina. 

O chef Felipe Bronze participa de evento no Instituto Tomie Ohtake - Marcus Leoni/Folhapress

Contudo, não é preciso estar no Rio para conhecer Bronze. Muitos já o conhecem da TV. Ele está à frente de três programas na GNT (“Perto do Fogo”, “The Taste Brasil” e “Que Seja Doce”) e, neste ano, estreia na Record, apresentando o “Top Chef”.

A primeira empreitada de Bronze na capital paulista foi batizada com o mesmo nome de um antigo restaurante seu, no Rio de Janeiro. Dele, herdou também alguma coisa do cardápio e decoração. De seu irmão mais festejado, o Oro, o novo Pipo empresta o uso da brasa no preparo das receitas.

“O Pipo segue o mesmo DNA de cozinha feita na brasa do Oro, com o nosso modo de ver comida. A ideia é que ele seja um restaurante democrático [o Oro serve apenas menus-degustação], mas com a mesma excelência”, afirma o chef.

No comando da cozinha estão os chefs Henrique Ide —do Oro— e Rafaela Fávaro, que trabalhava com 
Jefferson e Janaína Rueda. 

Portas envidraçadas com detalhes de madeira completam a decoração marcada por plantas, cores claras e um colorido grafite interno. A proposta, sugere o menu, é que cada pessoa peça dois ou três pratos para compartilhar à mesa.

O cardápio traz petiscos, crus (ou muito pouco cozidos), minissanduíches (na brioche assada no vapor, lembrando os baos) , arrozes e pastas, carnes e sobremesas.

O uso da brasa é uma constante. Pode aparecer, por exemplo, no ceviche de atum com melancia na brasa e ervas da horta (R$ 43), e até em drinques, como a caipirinha com tangerinas caramelizadas e xarope de gengibre (R$ 28).

Entre as carnes, um destaque é a costela preparada por 18 horas na brasa, servida com purê de banana-da-terra e farofa com ovo mole (R$ 62).

Segundo Bronze, três receitas vieram intocadas do Pipo carioca: o caldinho de feijão (com espuma de couve, R$ 14), o aipim (com espuma de queijo de coalho na brasa; R$ 24) e o pudim (R$ 28).

MIS - Av. Europa, 158, Jardim Europa, região oeste, tel. 3530-1760. Ter. a sáb.: 12h às 23h. Dom.: 12h às 16h30.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais