Descrição de chapéu Crítica
Restaurantes

Com confortável regularidade na cozinha, bar [a]típico ganha status de restaurante

Com espírito de botequim tradicional brasileiro, casa mira em menu consistente

[a]típico

  • Quando Ter. a qui.: 12h às 24h. Sex. e sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 18h
  • Onde R. Jacques Félix, 381, Vila Nova Conceição, tel. 2372-2833. 75 lugares
  • Preço $

Nenhum bar de respeito se arrisca a vender bons drinques sem também pensar na cozinha. Aqueles focados nos coquetéis também investem nos petiscos, buscando algo original mesmo não tendo refeições completas. Já aqueles com espírito de botequim tradicional brasileiro miram um cardápio mais consistente, como é o caso do recém-aberto [a]típico.

Este tem um perfil de bar, descontraído no ambiente e no serviço; mas ao lado de fartas caipirinhas e drinques tradicionais (com muitas frutas), a cozinha lhe confere um status de restaurante.

O local à noite é muito ruidoso, o que não espanta num bar, mas incomoda a quem quer desfrutar a comida e mesmo a companhia. O almoço tem mais calma e menos decibéis.

Quem prefere apenas petiscar enquanto bebe, pode aproveitar opções que servem também de aperitivo para a refeição.

Alguns dos pratos servidos no [a]típico
Com confortável regularidade na cozinha, bar [a]típico hanha status de restaurante - Divulgação

Inspirados em pratos regionais há itens como o torresmo, que se destaca pela crocância e pelo interior carnudo e macio (com alho confit e pimenta-biquinho, R$ 11,50); o pastel de moqueca cremosa com molho de pimenta (R$ 9, duas unidades); ou a costelinha de tambaqui com limão caipira e maionese de alho (R$ 13). São melhores que a croqueta espanhola de feijoada (este tipo de croquete cremoso não orna com feijão, não), duas por R$ 11,50.

Como pratos, há várias sugestões saídas do fogão. São as panelinhas (como a de rabada na cerveja preta, agrião e pimenta da casa; R$ 36); as marmitas, servidas nas próprias, de alumínio, como a suculenta moqueca (camarão, badejo ou cogumelos) com arroz de coco, farofa de banana-da-terra e legumes na brasa, para duas pessoas (R$ 96); e variações do pê-efe, como o mais trivial: bife acebolado à cavalo com arroz, fritas, feijão e ovo (R$ 38).

Resta a seção da grelha: de lá saem cortes como fraldinha (R$ 63) e bifes ancho e de chorizo (R$ 69 ambos). E também a costela cozida por oito horas e terminada na brasa, com mandioca cozida na manteiga de garrafa, a R$ 130 para ao menos dois. Para um bar, o [a]típico tem uma confortável regularidade na cozinha.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais