Descrição de chapéu Crítica
Restaurantes

Com ambiente informal e iluminado, Huto Kohi oferece menu atraente

Casa é de Fabio Honda, também do Huto, em Moema, e do Huto Isakaya, no Campo Belo

Josimar Melo

Huto Kohi

  • Quando Seg. a qui.: 12h às 15h e 19h às 23h. Sex.: 12h às 15h e 19h às 24h. Sáb.: 19h às 24h
  • Onde R. Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 741, Itaim Bibi, tel. 3071-3765

Com seu perfil discreto, há quase uma década o restaurante Huto mantém em Moema um belo nível de qualidade. Isso recentemente começou a se desdobrar em outras casas, com diferentes propostas —o Huto Isakaya, no Campo Belo, e o recentíssimo Huto Kohi, no Itaim Bibi.

Todos são obras de Fabio Honda, que tempos atrás foi gerente do premiado Jun Sakamoto. O Huto Kohi já traz uma definição no próprio nome —kohi significa café em japonês. Seria, então, um espaço mais despretensioso, como são os cafés parisienses.

O lugar, no entanto, tem uma bela arquitetura, que se aproxima da rua pela parede envidraçada. Mas é, efetivamente, menos solene em relação a casa-mãe, que abre apenas à noite, em um ambiente mais austero.

Atum com creme de aspargo e tempura de ovo de codorna com ovas de salmão
Atum com creme de aspargo e tempura de ovo de codorna com ovas de salmão no Huto Kohi - Josimar Melo/Folhapress

Este caçula, por outro lado, é iluminado e mais informal. Ele não só abre também no almoço, como tem menus executivos (de segunda a sexta) bem atraentes —podem ser um combinado de crus (R$ 75), um teishoku com opções de pratos quentes (peixe, carne bovina, porco, R$ 80), ou um vistoso bentô, bandeja com nove repartições preenchidas com crus e cozidos (R$ 99).

Os sushis, preparados por José Francisco de Araújo (mais um ex-Sakamoto), são melhor apreciados no balcão. Mesmo nas mesas trazem boa variedade de peixes nacionais e importados (R$ 18 a R$ 40, a dupla) —além dos mais comuns, há anchova negra, beijupirá, ostra, cavalinha, serra e muitos outros.

Para abrir o apetite, o restaurante oferece opções ambiciosas, como a carne de wagyu com foie gras (R$ 68), que divide espaço com sugestões mais familiares aos frequentadores dos japoneses da cidade, como os enrolados (uramaki e ossomaki) de atum apimentado (R$ 30) e de tempura de camarão (R$ 44) recoberto de ovas de capelim (massago).

As criações quentes da casa incluem a costela de porco grelhada com um insípido purê de cará (R$ 42), o pargo com berinjela e missô (R$ 44) e o atum com creme de aspargo e tempura de ovo de codorna com ovas de salmão (R$ 50).

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais