Descrição de chapéu artes plásticas
Exposições

IMS inaugura mostras de italiana que fotografou a máfia e de chileno que integrou a Magnum

Exposições serão inauguradas simultaneamente neste sábado (27)

Amanda Ribeiro
São Paulo

Conhecida por fotografar a atuação da máfia em Palermo, a italiana Letizia Battaglia é protagonista de uma exposição que o IMS Paulista inaugura neste sábado (27). Já apresentada no IMS Rio, no Zisa Zona Arti Contemporanee (ZAC), em Palermo, e no Museo Nazionale delle Arti del 21 Secolo (MAXXI), em Roma, a mostra "Letizia Battaglia: Palermo" cobre cerca de 40 anos de produção da fotógrafa e tem curadoria de Paolo Falcone.

Dentre as 90 imagens exibidas na exposição, destaca-se um conjunto que narra a intensa atuação da máfia italiana em Palermo durante os anos 1970 e 1980. Ali, fotografou gângsteres, conflitos e alguns dos diversos cadáveres resultantes de um conflito que se assemelhava a uma guerra civil.

Entre as imagens selecionadas está uma das obras mais famosas de Battaglia. Clicada em 1979, ela retrata a prisão do chefe da máfia Leoluca Bagarella, responsável por uma série de assassinatos. Para produzir a imagem, a fotógrafa se aproximou tanto de Bagarella que ele conseguiu lhe desferir um chute que acabou por derrubá-la.

Além das obras relacionadas ao mundo do crime, estão expostas imagens que retratam o cotidiano e a vida cultural em Palermo, cidade onde a fotojornalista atuou profissionalmente a partir dos anos 1970.

Nascida em Palermo em 1975, Battaglia começou a fotografar relativamente tarde, aos 36 anos. Ao longo de sua carreira, atuou como militante política e acabou por se tornar deputada regional em 1986. Ela afirma enxergar a fotografia como uma forma de manifestação política, uma forma de denunciar a realidade em que vivia.

IMS - Av. Paulista, 2.424, tel. 2842-9120. Ter., qua. e sex. a dom.: 10h às 20h. Qui.: 10h às 22h. Abertura sáb. (27). Até 22/9. Livre. GRÁTIS


Sergio Larrain: Um Retângulo na Mão

Inaugurada simultaneamente à mostra de Battaglia, "Sergio Larrain: Um Retângulo na Mão" é uma retrospectiva da obra do chileno, considerado um dos mais importantes fotógrafos de seu país. A curadoria da mostra, exibida pela primeira vez no Festival de Arles em 2013, é de Agnès Sire, diretora artística da Fundação Henri Cartier-Bresson.

Conhecido por retratar principalmente os personagens e as paisagens chilenas, Larrain integrou a famosa agência de fotografia Magnum, por onde passaram nomes como Henri Cartier-Bresson, Robert Capa e Steve McCurry.

A curadoria de Sire cobre cronologicamente a carreira de Larrain, apresentando desde as primeiras fotos de crianças tiradas nas ruas de Santiago até as viagens internacionais pela Magnum e a aposentadoria precoce, em 1978, quando optou por uma vida de isolamento.

Além de apresentar 140 imagens, a mostra traz um vídeo feito pelo chileno, além de itens como desenhos e publicações.

IMS - Av. Paulista, 2.424, tel. 2842-9120. Ter., qua. e sex. a dom.: 10h às 20h. Qui.: 10h às 22h. Abertura sáb. (27). Até 25/8. Livre. GRÁTIS

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais