Descrição de chapéu artes plásticas
Exposições

Instalação de Joseph Beuys que bombeia mel é centro de mostra na Pinacoteca

Obras de artistas como Hélio Oiticica, Maurício Ianês, Mônica Nador integram mostra

Isabella Menon
São Paulo

Joseph Beuys foi um dos artistas mais influentes do século 20 e voz política poderosa na Alemanha do pós-guerra. Morto aos 64 anos, em 1986, o alemão é o centro da mostra “Somos Muit+s: Experimentos sobre Coletividade”, que abre neste sábado (10), na Pina_Luz. 

Uma das apostas do espaço para este ano, a exposição reúne obras de Beuys que dialogam com a de outros artistas, como de Hélio Oiticica, Maurício Ianês, Mônica Nador e Jamac, o Coletivo Legítima Defesa, Tania Bruguera, Rirkrit Tiravanija e Vivian Caccuri.

Ali, todos os presentes imaginam outros futuros e têm ligações com questões sociais e ambientais, temas caros ao artista alemão.

A instalação que comporta uma bomba de mel é uma das mais proeminentes de Beuys e integra a mostra. Apresentada pela primeira vez na Documenta 6, em 1977, a obra bombeava toneladas de mel por tubos de plástico. O alemão via no mel uma metáfora do produto do trabalho coletivo e a circulação do material, uma alusão ao fluxo da humanidade e da sociedade.

Além do alemão, cada artista propõe algum tipo de interação com sua obra. Ianês, por exemplo, usa o próprio corpo como matéria-prima e, na exposição, recebe os visitantes para um café ou a criação de um desenho. 

Pina_Luz - Pça. da Luz, 2, Bom Retiro, tel. 3324-1000. Seg. e qua. a dom.: 10h às 17h30. Até 28/10. Livre. Abertura: sáb. (10), às 11h. Ingr.: R$ 10. Menores de 10, maiores de 60 anos e sáb.: grátis.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais