Descrição de chapéu artes plásticas
Exposições

Em ano dedicado às mulheres, Masp inaugura individuais de Tarsila do Amaral e Lina Bo Bardi

Exposições tem abertura marcada para esta sexta (5)

São Paulo

No segundo ciclo de mostras da temática Histórias das Mulheres, Histórias Feministas, o Masp inaugura, nesta sexta (5), individuais da paulistana Tarsila do Amaral e da italiana naturalizada brasileira Lina Bo Bardi.

Ocupando o primeiro andar e o subsolo do museu, as mostras apresentam tanto trabalhos emblemáticos das artistas —como a pintura "Abaporu", de Tarsila— quanto projetos menos conhecidos —como a revista Habitat, que Lina editou entre 1951 e 1952.


​Tarsila do Amaral

Conhecida como uma das precursoras do movimento que instituiu a arte moderna no Brasil, a paulistana Tarsila do Amaral é protagonista da próxima exposição do Masp, que dedica seu ano à atuação das mulheres na arte. Com curadoria de Adriano Pedrosa e Fernando Oliva, “Tarsila Popular” tem abertura marcada para esta sexta (5).  O objetivo da exposição, que reúne 120 trabalhos, no entanto, não

é destacar a atuação e as influências da artista dentro da arte moderna. O recorte curatorial privilegia os personagens, temas e narrativas tipicamente brasileiros retratados pela pintora. Outra finalidade é exaltar os aspectos sociais, políticos e raciais discutidos em seus trabalhos.

A relação entre os quadros de Tarsila e o cotidiano brasileiro é explicitada em obras que retratam cenas de Carnaval, favelas e festas ao ar livre, e também quando a artista se volta às lendas populares e indígenas.
Dentro dessa última categoria insere-se um dos mais importantes trabalhos da pintora, “Abaporu” (1928), que volta a São Paulo depois de 11 anos. O quadro está atualmente exposto no Museu de Arte Latino-Americano, em Buenos Aires. Outros destaques são “A Cuca” (1924) e “Batizado de Macunaíma” (1956).

Masp - Av. Paulista, 1.578, Bela Vista, região central, tel. 3149-5959. Ter.: 10h às 19h30. Qua. a dom.: 10h às 17h30. Até 23/6. Livre. masp.org.br. Ingr.: R$ 40. Ter. e menores de 11 anos: grátis. Ingr. p/ masp.byinti.com.


Lina Bo Bardi

Responsável por projetar a sede do Masp na avenida Paulista, a arquiteta italiana radicada no Brasil Lina Bo Bardi é protagonista da nova individual do ciclo Histórias das Mulheres, Histórias Feministas, no Masp. Com curadoria compartilhada entre Tomás Toledo (Masp), Julieta González (Museo Jumex, no México) e José Esparza Chong Cuy (Museum of Contemporary Art, EUA), “Lina Bo Bardi: Habitat” abre nesta sexta (5).

O objetivo da mostra é destacar a amplitude da produção de Lina, que, além de atuar como arquiteta, produziu peças de mobiliário, propostas pedagógicas e expográficas e até produtos editoriais —um exemplo é a revista Habitat, que editou entre 1951 e 1952, enquanto comandava o Masp ao lado do marido Pietro Maria Bardi.

A mostra é dividida em três núcleos. O primeiro, “O Habitat de Lina Bo Bardi”, apresenta os 15 primeiros números da revista. O segundo, “Repensando o Museu”, narra a história de Lina com o Masp, passando pelo projeto arquitetônico e os famosos cavaletes de vidro que expõem as obras de acervo no segundo andar do museu. Por fim, “Da Casa de Vidro à Cabana” apresenta seu trabalho como projetista, com trabalhos como a Casa de Vidro e o Sesc Pompeia.

Masp - Av. Paulista, 1.578, Bela Vista, tel. 3149-5959. Ter.: 10h às 19h30. Qua. a dom.: 10h às 17h30. Até 28/7. Livre. Ingr.: R$ 40. Ter. e menores de 11 anos: grátis.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais