"Coleção Brasiliana Itaú" traz imagens remotas

Crédito: Divulgação
O britânico Samuel Walters retrata o resgate de passageiros; obra está exposta na Pinacoteca

Mais uma exposição resgata o trabalho de viajantes que cruzaram o Brasil no passado e deixaram obras cujo valor artístico se equipara ao histórico. Depois de Hercules Florence e da expedição Langsdorff, ambas em cartaz, a Pinacoteca recebe, a partir de sábado (6), a "Coleção Brasiliana Itaú", com 300 itens que ajudam a contar a história do país.

"É reflexo de um interesse maior de todos pela arte do passado", diz o curador Pedro Corrêa do Lago. A mostra traz mapas, ilustrações, pinturas e objetos que passaram pelas mãos da família real portuguesa.

Um dos registros mais fascinantes é a "Vista da Cidade de São Paulo" (1821), de Arnaud Julien Pallière, uma das raras telas que retratam a cidade antes do advento da fotografia. Já gravuras de Jean-Baptiste Debret e Johann Moritz Rugendas ocupam uma vitrine que retrata a vida dos escravos.

Lago defende que "essas obras documentais têm grande valor artístico", sendo que, às vezes, reproduzem uma visão romantizada. Ele destaca como exemplo de exuberância estética a vista de São Luís do Maranhão pintada pelo italiano Giuseppe Leone Righini.

Pinacoteca do Estado - pça. da Luz, 2, Bom Retiro, região central, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/3324-1000. Ter. a dom.: 10h às 17h30 (c/ permanência até as 18h). Abertura 6/3. Até 2/5. Ingr.: R$ 6 (sáb.: grátis). Estac. grátis. Classificação etária: livre.

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais

Mais lidas