Descrição de chapéu Cinema
Streaming

Carnaval em casa: Assista a 15 filmes para matar a saudade da folia

Lista tem clássico com Carmen Miranda, o axé de 'Ó Paí, Ó' e documentário com Maria Bethânia

São Paulo

Mais uma vez as fantasias, os adereços e a purpurina vão ter que ficar guardados dentro do armário. Neste Carnaval, as únicas máscaras que sairão às ruas são as cirúrgicas e as PFF2, já que, por causa da Covid, a cidade de São Paulo não vai ter, pelo segundo ano seguido, um feriado carnavalesco com avenidas lotadas, bloquinhos amontoados e muita esfregação e bebedeira ao ar livre.

Mesmo com o avanço da vacinação e a redução na média de casos diários de coronavírus, a prefeitura anunciou que os desfiles das escolas de samba paulistanas vão ocorrer só em 21 de abril, quase dois meses depois do feriado de Carnaval, na próxima terça (1º).

Maria Bethânia em cena do documentário 'Fevereiros'
Maria Bethânia em cena do documentário 'Fevereiros' - Divulgação

O jeito é ter paciência, ficar em casa e buscar um passatempo carnavalesco. Para matar a saudade da folia, diversos filmes sobre Carnaval estão espalhados por plataformas de streaming e de aluguel.

Há, por exemplo, produções clássicas —como "Alô, Alô, Carnaval", de 1936, com Carmen Miranda. Também estão disponíveis títulos mais moderninhos, caso de "Carnaval", que pôs a influenciadora digital GKay para atuar, além de títulos que fizeram barulho em prêmios e festivais —entre eles, "Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar" e "Fim de Festa".

Conheça, a seguir, 15 filmes carnavalescos disponíveis online e saiba como assistir a cada um.

Alô, Alô, Carnaval
É o filme mais antigo desta lista, produzido em 1936, sobre dois autores que tentam conseguir um empresário para sua revista. As irmãs Aurora Miranda e Carmen Miranda estão no elenco e podem ser vistas em números musicais. Apesar de não estar no catálogo de nenhum streaming, a produção pode ser vista gratuitamente no YouTube –a obra entrou em domínio público em 2006, 70 anos depois de sua criação.
Brasil, 1936. Direção: Adhemar Gonzaga. Com: Carmen Miranda, Jaime Costa e Pinto Filho. No YouTube: bit.ly/3h5M7y9

As cantoras e irmãs Carmen Miranda e Aurora Miranda no filme 'Alô, Alô Carnaval', de 1936
As cantoras e irmãs Carmen Miranda e Aurora Miranda no filme 'Alô, Alô Carnaval', de 1936 - Wikimedia Commons

Axé: Canto do Povo de um Lugar
O documentário explora as origens do axé, que criou artistas e movimentou multidões nos últimos anos. Com a participação de cantores como Daniela Mercury, Márcio Victor e Xanddy, o longa reúne filmagens de shows feitos no Carnaval e não mostra apenas a folia e os abadás, mas fala da origem do ritmo, que remete às matrizes africanas.
Brasil, 2016. Direção: Chico Kertész. Na Netflix. 12 anos


Carnaval
Lançado na pandemia, o filme segue a receita dos blockbusters e o modelo água com açúcar e fala sobre uma influenciadora digital que descobre ter sido traída pelo namorado, o que faz com que ela vá curtir o Carnaval. Um nome inusitado surge no elenco: GKay, que fez sucesso com sua festa milionária no fim do ano passado.
Brasil, 2021. Direção: Leandro Neri. Com: Alexandre Moreira, Bruna Inocencio e GKay. Na Netflix. 14 anos

cena de filme
Samya Pascotto, Giovana Cordeiro, Bruna Inocencio e GKay em 'Carnaval', filme da Netflix - Desiree do Valle/Divulgação

Damas do Samba
Compositoras, passistas, musas e intérpretes compõem este documentário musical, que explora a história dessas mulheres que fizeram parte da história do Carnaval —como Alcione, Beth Carvalho e Clementina de Jesus, por exemplo.
Brasil, 2015. Direção: Susanna Lira. No Disney+. 10 anos


Dona Flor e Seus Dois Maridos
Depois de perder seu marido, Vadinho, durante o Carnaval, Dona Flor decide se casar novamente. Ela até gosta da relação com o novo marido, mas sente falta do que viveu com Vadinho —até que o fantasma do morto aparece. Baseado no livro de Jorge Amado e dirigido por Bruno Barreto, o filme ganhou um remake em 2017 com Juliana Paes, Leandro Hassum e Marcelo Faria, que pode ser visto na Netflix.
Brasil, 1976. Direção: Bruno Barreto. Com: José Wilker, Mauro Mendonça e Sônia Braga. No Globoplay. 18 anos


Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar
No documentário premiado, Marcelo Gomes mostra o impacto da produção de jeans numa pequena cidade do interior de Pernambuco. Praticamente todos os moradores trabalham na indústria têxtil sem descanso —e aguardam ansiosamente pela chegada do Carnaval, quando finalmente terão dias de folga e poderão até viajar.
Brasil 2019. Direção: Marcelo Gomes. Na Netflix. 10 anos


Fevereiros
A partir da vitória da Mangueira​ no desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro em 2016, quando homenageou Maria Bethânia, o documentário faz reverência à cantora e mostra sua relação intensa com a época de Carnaval —desde que ela era criança, na cidade de Santo Amaro (BA), onde até hoje Bethânia participa das festividades dessa época do ano.
Brasil, 2018. Direção: Marcio Debellian. No Globoplay. Livre


Fim de Festa
Depois de um intenso Carnaval no Recife, uma garota é asfixiada e brutalmente assassinada na Quarta-Feira de Cinzas. O crime acaba gerando consequências e reflexões para quatro jovens e para o pai de um deles, um policial interpretado por Irandhir Santos.
Brasil, 2020. Direção: Hilton Lacerda. Com: Ariclenes Barroso, Irandhir Santos e Maria Barreira. No Globoplay. 16 anos


O Fim É Só o Começo
O documentário exibe mais de 400 mulheres se preparando para os cortejos que abrem um Carnaval de rua paulistano, costurado por cenas de ensaios.
Brasil, 2020. Direção: Daiane Pettine. Disponível para aluguel e compra no Looke. Livre


Jonas
Aqui, o Carnaval ganha toques de suspense. O filme segue um rapaz que sequestra a moça por quem é apaixonado, deixando-a presa na parte interna de um carro alegórico. Em forma de baleia, o veículo vira cenário onde ambos terão tempo para entender o que está ocorrendo. O longa tem Criolo e Jesuíta Barbosa no elenco.
Brasil, 2016. Direção: Lô Politi. Com: Criolo, Jesuíta Barbosa e Laura Neiva. Na Netflix. 16 anos

Cena de 'Jonas', filme que pode ser visto na Netflix - Divulgação

Mangueira em 2 Tempos
O documentário chamado "Mangueira do Amanhã", de 1992, exibia crianças cariocas que participavam da escola de samba. Em "Mangueira em 2 Tempos", a diretora Ana Maria Magalhães recupera essa história e vai à agremiação para mostrar o destino que cada uma daquelas crianças teve.
Brasil, 2019. Direção: Ana Maria Magalhães. Com: Mestre Wesley. Para aluguel no YouTube Filmes. 10 anos


Memória em Verde e Rosa
O compositor Tantinho e outros antigos sambistas da Mangueira —uma das escolas mais retratadas no cinema— relembram histórias sobre o morro do Rio de Janeiro e sua relação com o samba. O documentário exibe também as dificuldades que eles tiveram para serem reconhecidos como artistas.
Brasil, 2016. Direção: Pedro von Krüger. No Amazon Prime Video. Livre


Ó Paí, Ó
A trama se passa durante um Carnaval em Salvador e acompanha a vida de moradores de um cortiço no centro da capital baiana. O grupo, que conta com atores como Lázaro Ramos e Wagner Moura, leva a vida com farra, ironia, humor, música e axé.
Brasil, 2007. Direção: Monique Gardenberg. Com: Dira Paes, Lázaro Ramos e Wagner Moura. No Globoplay. 14 anos

O ator Lázaro Ramos em cena de 'Ó Paí, Ó' - Divulgação

Orfeu do Carnaval
Também chamado "Orfeu Negro" é um clássico do cinema brasileiro —embora não seja exatamente um filme nacional, mas uma coprodução dirigida pelo francês Marcel Camus. É durante um Carnaval carioca que um condutor de bondes e sambista chamado Orfeu se apaixona por Eurídice, numa trama inspirada em "Orfeu da Conceição", peça de Vinicius de Moraes. Concorrendo pela França, venceu o Oscar de melhor filme internacional em 1960. Também ganhou a Palma de Ouro de Cannes em 1959.
Brasil, França e Itália, 1959. Direção: Marcel Camus. Com: Breno Mello, Lourdes de Oliveira e Marpessa Dawn. No Amazon Prime Video. 14 anos


Rio
A única animação da lista é dirigida pelo brasileiro Carlos Saldanha, também responsável pelos três primeiros filmes de "A Era do Gelo", que decidiu levar parte da cultura carnavalesca do Brasil para as telas. Na história, Blu é uma ararinha-azul domesticada que é uma das últimas da sua espécie. Um pedaço do longa se passa num desfile de Carnaval.
​EUA, 2011. Direção: Carlos Saldanha. No Disney+. Livre

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas

Ver mais